Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3274
Título: A motivação intrínseca e extrínseca na disciplina de educação física : as diferenças de género em alunos do ensino básico
Autor: Rosa, António José Pinto
Orientador: Martins, Júlio Manuel Cardoso
Palavras-chave: Educação física - Motivação intrínseca
Educação física - Motivação extrínseca
Educação física - Motivação desportiva - Género
Prática desportiva
Data de Defesa: Jun-2012
Resumo: A Teoria da Autodeterminação, proposta por Deci & Ryan (1985) explica as ações menos e mais autodeterminadas (i.e. controladas versus autónomas), da motivação numa perspetiva multidimensional. Neste estudo procuramos conhecer os motivos mais e menos importantes que influenciam a motivação intrínseca e extrínseca entre os rapazes e as raparigas na disciplina de Educação Física e comparar a motivação intrínseca e extrínseca entre género. A amostra do estudo, de conveniência, foi constituída por 478 alunos do Agrupamento de Escolas João Roiz, de Castelo Branco, sendo 256 indivíduos do sexo masculino e 222 alunos do sexo feminino. A recolha de dados foi feita através do questionário elaborado e validado por Kobal (1996), constituído na sua totalidade por 3 dimensões de questões, (i.e. participação, o gosto e não gosto pelas aulas de Educação Física). Os dados foram tratados através da metodologia quantitativa pelo que recorremos à estatística descritiva inferencial. Os resultados obtidos evidenciam, na análise descritiva, que tanto os rapazes como as raparigas estão intrinsecamente e extrinsecamente motivados para as aulas de Educação Física. Deste modo, na motivação intrínseca revelam resultados elevados de concordância com os itens que se enquadram com o gosto, o interesse, o prazer, o envolvimento e empenho nas atividades e na motivação extrínseca valorizaram as notas, a integração na turma e o estar com os amigos. Entre o género, verifica-se que os resultados de concordância são superiores nos rapazes tanto na motivação intrínseca como na motivação extrínseca, e ambos os géneros apresentam resultados de maior concordância na motivação intrínseca versus motivação extrínseca. Na análise comparativa, os resultados obtidos revelam diferenças significativas entre o género, tanto na motivação intrínseca, como na motivação extrínseca para as mesmas questões, referentes aos motivos da participação, gosto e não gosto das aulas de Educação Física
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3274
Designação: Mestrado em Ensino da Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário
Aparece nas colecções:FCSH - DCD | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatório de Estágio de António Rosa.pdfDocumento principal1,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.