Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3326
Título: Prosódia semântica como fenómeno léxico-gramatical: contributos linguísticos para uma análise social
Autor: Guilherme, Pedro Miguel Lavajo Natário
Orientador: Osório, Paulo José Tente da Rocha Santos
Palavras-chave: Prosódia semântica
Prosódia semântica - Língua portuguesa
Prosódia semântica - Pragmática
Prosódia semântica - Alteridade
Prosódia semântica - Análise social
Data de Defesa: Fev-2014
Resumo: A Prosódia Semântica, fenómeno léxico-gramatical que resulta da alteração gradual da carga semântica e pragmática de itens lexicais que coocorrem repetidamente com contextos positivos ou negativos, apresenta-se como uma potencial ferramenta de análise psicológica e sociológica, já que as alterações de sentido que daí decorrem são de caráter subtil e até mesmo subliminar. Assim, esta tese presta-se a determinar de que forma pode a Prosódia Semântica ser útil na análise de padrões sociais. Demonstra-se, em primeiro lugar, de que forma ocorre a Prosódia Semântica e as suas implicações semânticas, pragmáticas e, também, sintáticas. Aproveitamos, igualmente, para ilustrar de que forma é que esta orienta a produção e receção do discurso, concluindo-se que a Prosódia Semântica age a um nível intuitivo e deriva das expetativas desencadeadas por determinados itens lexicais. Tomando em linha de conta que a Prosódia Semântica é resultado de um condicionamento, refletimos, então, sobre o modo como uma sociedade lhe pode estar exposta, principalmente quando a exposição à informação se dá de um modo não responsável e não informado, sendo esta uma realidade verificada em Portugal e à qual chamamos iliteracia. Para a componente prática desta tese, decidimos proceder à análise de discurso político e jornalístico, obviamente com enfoque na Prosódia Semântica. Tal escolha teve dois motivos: (i) o reduzido nível de literacia em Portugal torna os falantes mais suscetíveis à receção e criação de discursos construídos em torno de palavras-chave vazias de sentido e definidas, somente, por significações periféricas derivadas da Prosódia Semântica; (ii) a sociedade portuguesa encontra-se altamente mediatizada e, devido à crise financeira, mais sensível às decisões levadas a cabo pela classe política. Recorremos à análise de corpora construídos a partir do jornal O Público e do Diário da Assembleia da República – 1.ª Série. O primeiro, intitulado CETEMPúblico, havia já sido compilado pela Linguateca, ao passo que o segundo foi por nós construído para servir de ferramenta nesta tese. Não só procedemos a análises independentes de cada corpus, mas tentámos, também, estabelecer uma correlação entre ambos, a qual julgamos sintetizar o atual estado da Prosódia Semântica na língua portuguesa. Para além de termos estudado quinze novos casos de Prosódia Semântica na língua portuguesa, as suas incidências no seio dos discursos político e jornalístico demonstraram que a sua Prosódia Semântica reflete o atual estado social no que diz respeito a preocupações, desejos e receios. Descobrimos, por exemplo, que «transparência» coocorre principalmente com «falta» e que «subida» se refere principalmente a «taxas» e «preços», explicitando-se, assim, um condicionamento a nível linguístico. Concluímos, deste modo, que a Prosódia Semântica constitui uma ferramenta de análise da própria sociedade.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3326
Designação: Doutoramento em Letras
Aparece nas colecções:FAL - DL | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Pedro Guilherme - A Prosódia Semântica como Fenómeno Léxico-GramaticalDocumento principal6,75 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.