Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3367
Título: Implementação e evolução do ensino da língua espanhola no sistema educativo português
Autor: Vale, Inês Felipa Pereira do
Orientador: Osório, Paulo José Tente da Rocha Santos
Sardinha, Maria da Graça Guilherme D'Almeida
Palavras-chave: Sistema educativo - Ensino de línguas estrangeiras - Portugal
Língua espanhola - Ensino - Segunda língua
Língua espanhola - Ensino - Sistema educativo - Portugal
Língua estrangeira - Didáctica
Data de Defesa: 2009
Resumo: A necessidade de formar cidadãos plurilingues baseia-se em diversos documentos de carácter europeu, nomeadamente o Quadro Europeu Comum de Referência das línguas. Como maneira de promover este plurilinguismo recomenda-se um ensino precoce de línguas no primeiro ciclo. Nos nossos tempos, assistimos à integração do Espanhol em praticamente todas as escolas do país. Este objectivo de inclusão de uma nova língua estrangeira nos planos curriculares vem salientar o caminho cada vez mais plurilingue e mais pluricultural de uma escola que outrora era monolingue e mono cultural. Algumas formas de concretizar esta nova tendência vão ao encontro dos objectivos de uma nova política educativa, baseada na construção de um cidadão europeu. O cidadão europeu do futuro era só aquele que investia no saber ser, mas também que tem um saber, que adquiriu ferramentas para aprender a aprender e que domina o saber fazer para viver com os outros cidadãos europeus. A nossa dissertação, defendendo uma competência comunicativa para o ensino do Espanhol, apresenta quatro partes fundamentais. Em forma introdutória, é feita uma apresentação do estudo inserido nas directrizes do Quadro Europeu Comum de Referência, no que se refere à aprendizagem das línguas estrangeiras. Após o surgimento da União Europeia as fronteiras foram diluídas e o plurilinguismo ganhou outro significado. No primeiro capítulo tratamos a passagem, numa visão diacrónica, do latim ao espanhol. Como língua românica, a par do português, o espanhol deriva desse latim coloquial tardio. Esse latim foi tendo incidências diferentes na Hispânia, dando origem às diferentes línguas faladas neste território. O segundo capítulo trata da importância do espanhol no mundo, a vários níveis, e da tentativa de implementação do Espanhol numa escola cada vez mais plurilingue e pluricultural: uma escola que assiste ao surgimento do Espanhol como língua franca. O terceiro capítulo, de carácter prático, é o estudo de caso, na Escola Secundária Alves Martins, em Viseu. Neste capítulo, analisamos a avaliação oral e escrita em turmas do 7º, 10º e 11º anos. O nosso estudo empírico assenta, assim, em dois ciclos e níveis distintos permitindo-nos retirar conclusões comparativas.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3367
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de mestre em Estudos Ibéricos
Aparece nas colecções:FAL - DL | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Capa.pdf29,54 kBAdobe PDFVer/Abrir
Agradecimento.pdf17,23 kBAdobe PDFVer/Abrir
TESE.pdf4,8 MBAdobe PDFVer/Abrir
anexo 3- matrizes testes.pdf70,12 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.