Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3421
Título: Propriedades físicas de argamassa geopolimérica de lamas residuais das minas da Panasqueira
Autor: Centeio, João da Cruz Sequeira
Orientador: Gomes, João Paulo de Castro
Silva, Pedro Nuno Dinho Pinto da
Palavras-chave: Geopolímeros
Lamas residuais
Geopolímeros - Resistência térmica
Geopolímeros - Condutibilidade térmica
Argamassas geopolíméricas
Data de Defesa: 2011
Resumo: O reaproveitamento das lamas residuais das Minas da Panasqueira em materiais geopoliméricos, permite por um lado diminuir o impacto ambiental negativo do seu depósito à superfície, e por outro lado, em substituição de cimento Portland, contribui para a diminuição do nível de emissões de gases com efeito de estufa. O presente trabalho insere-se no desenvolvimento de um elemento (argamassa) geopolimérica à base de lamas residuais das minas da Panasqueira para aplicação em paredes de edifício, procurando conhecer e melhorar o seu comportamento térmico. Na caracterização dos materiais de base para a argamassa geopolimérica, estudou-se a possibilidade de aumentar a superfície específica da lama residual para poder aumentar a sua reactividade e consequentemente melhorar o desempenho da resistência mecânica. Foram utilizadas duas formas para aumentar a superfície específica: moer antes do tratamento térmico e moer depois do tratamento térmico, tendo-se verificado que a melhor forma é a segunda. Na elaboração da mistura foi utilizado um software “ALKALE” para o cálculo dos activadores alcalinos para uma determinada massa do precursor. Foram também estudadas determinadas propriedades físicas e mecânicas, tendo-se verificado que para as condições que optimizam a resistência mecânica, a trabalhabilidade é baixa e a utilização do introdutor de ar origina misturas mais compactas mas não altera de forma significativa a trabalhabilidade. A adição de água teve um efeito mais eficaz na trabalhabilidade. A argamassa geopolimérica apresentou elevada resistência à flexão, mas em idades iniciais mais baixas que a argamassa de cimento, enquanto que na compressão verificou-se o contrario. O ensaio térmico das argamassas de cimento e geopoliméricas, mostraram que as argamassas geopoliméricas tem melhores desempenhos, comparativamente às argamassas de cimento Portland, com maiores resistências térmicas e menores condutibilidades térmicas.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3421
Designação: Dissertação apresentada à Universidade da Beira Interior para a obtenção do grau de Mestre em Engenharia Civil - Estruturas e Construção
Aparece nas colecções:FE - DECA | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese final_João Centeio.pdf10,4 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.