Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3867
Título: Factores de satisfação profissional dos técnicos de diagnóstico e terapêutica
Autor: Pereira, Ana Catarina Martins
Orientador: Ussman, Ana Maria
Palavras-chave: Satisfação profissional
Satisfação profissional - Técnicos de diagnóstico
Satisfação profissional - Factores intervenientes
Insatisfação profissional
Data de Defesa: 2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: De acordo com Spector (1997) Satisfação Profissional pode ser definida como a medida que alguém gosta (satisfação) ou não gosta do seu trabalho (insatisfação). A Satisfação Profissional dos Técnicos de Diagnostico e Terapêutica revela-se uma área pouco estudada. A Satisfação Profissional tem o potencial de afectar um grande número de comportamentos na organização e contribuir para os níveis de bem-estar dos trabalhadores e no caso de profissionais de saúde melhorar a prestação de cuidados (George e Jones, 2004). O presente estudo visa determinar os factores de Satisfação Profissional nos Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica. Para a recolha de dados foi utilizada uma escala, desenvolvida com base na revisão bibliográfica que avalia pela positiva e pela negativa as variáveis de Satisfação Profissional: Autonomia; Salário; Reconhecimento; Relacionamento com os colegas; Relacionamento com a Chefia; Rotina; Excesso de Trabalho; Responsabilidade; Progressão na Carreira; Experiência profissional; Equidade; Politicas e Procedimentos da Organização e a Natureza do trabalho. A amostra ficou constituída por 60 Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica a exercer funções no Centro Hospitalar Cova da Beira. Por meio de testes estatísticos como a análise factorial e o teste não paramétrico de Mann- Whitney determinaram-se quatro factores relacionados com a Satisfação Profissional: 1) Relacionamento com a chefia; 2); Natureza do Trabalho 3) Ambiente organizacional 4) Responsabilidade; dois factores relacionados com a insatisfação profissional: 1) Excesso de trabalho; 2) Equidade; e um factor que afecta tanto a Satisfação Profissional como a insatisfação: Organização do trabalho (autonomia e reconhecimento). Com este estudo foi possível concluir que a maioria (60%) dos TDT em estudo se sente satisfeito com o seu trabalho. Aproximadamente 12% referem que não conseguem decidir, parecendo estar num estado que Herzberg (2003) intitula como ausência de satisfação, ou seja, não estão insatisfeitos com o trabalho mas também não se sentem satisfeitos e aproximadamente 28% dos técnicos sente-se insatisfeito com o seu trabalho.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3867
Designação: Mestrado em Gestão de Unidades de Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DGE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Ana Catarina Pereira.pdf1,56 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.