Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3875
Título: Avaliação das células endoteliais em patologias que comprometem a integridade do endotélio
Autor: Torres, Cláudia Angelina Borges
Orientador: Fonseca, Mafalda
Palavras-chave: Células endoteliais
Endotélio - Lesão
Hemostase
Hemostase - Células endoteliais
Trombose
Leucemia linfocítica crónica
Data de Defesa: 2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: As células endoteliais estão localizadas na interface entre o tecido vascular e o sangue, revestindo em monocamada toda a árvore vascular. Estas células são responsáveis pela presença de uma superfície vascular anti-coagulante, no entanto, quando ocorre lesão do endotélio podem providenciar uma superfície pró-trombótica. Suspeita-se que as células endoteliais em circulação no sangue periférico (células endoteliais circulantes, CEC) têm um elevado potencial como marcador clínico da integridade vascular e dos processos pró-trombóticos. Para estudar este possível potencial, quantificou-se as CEC por citometria de fluxo em quatro grupos de doentes (TEV - tromboembolismo venoso, TE - trombocitemia essencial, PV - policitemia vera e LLC-B – leucemia linfocítica crónica B) e comparou-se com o grupo controlo. Também se estudou nas CEC de todos os grupos a expressão de três marcadores de activação, o CD54 (ICAM-1, Intercellular Adhesion Molecule 1), o CD62E (Selectina E), e o CD106 (VCAM-1, Vascular Cell Adhesion Molecule 1), de um marcador de actividade pró-coagulante, o CD142 (Factor Tecidual) e do marcador de origem microvascular, o CD36. Por último, no grupo com TEV, avaliou-se se a expressão dos marcadores de activação e de actividade pró-coagulante se correlacionava com os dados clínicos e analíticos dos doentes. Observou-se um aumento estatisticamente significativo do nº de CEC em todos os grupos de doentes comparativamente ao grupo controlo. Nos quatro grupos de doentes houve um maior nº de CEC CD36+ do que no grupo controlo. Relativamente à expressão dos marcadores de activação e de actividade pró-coagulante, todos os grupos de doentes tiveram um maior nº de CEC CD62E+, mas apenas o grupo de doentes com TEV apresentava um maior nº de CEC CD54+ e CD142+ com diferenças estatisticamente significativas relativamente ao grupo controlo. Nos doentes com TEV verificou-se que o nº de CEC CD142+ se correlacionava com o nº de tromboses e que o nº de CEC CD54+ se correlacionava com a concentração de fibrinogénio. Este estudo sugere que as CEC, além de revelarem a existência de lesão endotelial, também podem indicar a presença de activação endotelial e de actividade pró-coagulante, sendo possível que estejam envolvidas na etiopatogenia das tromboses.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3875
Designação: Mestrado em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado Células Endoteliais Circulantes- Cláudia Torres.pdf2,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.