Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3888
Título: Prevalência de autoanticorpos com valor preditivo em dadores de sangue portugueses
Autor: Geraldes, Ana Patrícia Bernardo
Orientador: Tomáz, Cândida Ascensão Teixeira
Ratado, Paulo Manuel Tavares Vicente Beja
Palavras-chave: Doenças auto-imunes
Doenças auto-imunes - Anticorpos
Autoanticorpos preditivos
Dadores de sangue portugueses - Anticorpos
Data de Defesa: 2011
Resumo: Existe um conjunto de doenças que se assemelham entre si pelo facto de apresentarem danos em órgãos e tecidos que decorrem de respostas a antigénios do próprio. A essas doenças dá-se o nome de doenças auto-imunes. Estas apresentam uma prevalência e incidência distintas entre si, sendo superiores no sexo feminino e aumentando com o decorrer da idade. Existem autoanticorpos que são mais prevalentes em certas doenças auto-imunes, no entanto, nem todos podem predizer com exactidão a ocorrência de doença. Apesar disso, tem-se conhecimento que existem autoanticorpos que se encontram no soro de doentes até 10 anos antes do início do aparecimento da doença. Este estudo pretendeu avaliar a prevalência dos anticorpos anti-Saccharomyces cerevisiae, os anticorpos anti-mitocondriais, os anticorpos anti-nucleares, os anticorpos antifosfolípidos, anticorpos anti-péptidos cíclicos citrulinados, factor reumatóide, anticorpos antigliadina e anticorpos anti-transglutaminase tecidular. Para isso, foram executados métodos de análise e métodos de confirmação, tendo-se contabilizado como apresentando autoanticorpos apenas os dadores que apresentaram positividade nos métodos confirmatórios. Obteve-se uma prevalência de autoanticorpos no total da população de 12,54%,o que está dentro dos valores encontrados na bibliografia. Os resultados obtidos revelam uma maior prevalência de autoanticorpos em dadores do sexo feminino e um aumento da prevalência de autoanticorpos no decorrer da idade. Para a totalidade dos dadores os autoanticorpos mais prevalentes foram os anticorpos anti-Saccharomyces cerevisiae (IgA e IgG) seguidos do factor reumatóide, tendo-se obtido os mesmos resultados quando se analisam apenas os dadores masculinos. A prevalência nos dadores femininos foi distinta, apresentando como autoanticorpos mais prevalentes os anticorpos anti-Saccharomyces cerevisiae (IgA e IgG), seguindo-se os anticorpos anti-fosfolípidos. Verifica-se a necessidade de se fazerem estudos e exames complementares de modo a confirmar os resultados obtidos neste trabalho.
Autoimmune diseases are a very similar group of diseases presenting injuries on organs and tissues which come from overactive immune response to its own antigens.. They have a very different prevalence and incidence, being higher on females and increasing with age. There are some autoantibodies prevalent in certain autoimmune diseases, although, not all can predict with precision the emergency of the disease. Even so there is the knowledge that some auto antibodies are in the serum of patients until 10 years before the appearance of the disease. The aim of this study was to evaluate the prevalence of antibodies anti- Saccharomyces cerevisiae, the anti-mitochondrial antibodies, anti-nuclear antibodies, antiphospholipids antibodies, anti-cyclic citrullinated peptids antibodies, rheumatoid factor , anti-gliadin antibodies and anti-tissue transglutamine. Only donors who tested positive in the confirmation test for autoantibodies were recorded in the study. Was found a prevalence of 12,54% in the total population with autoantibodies, being within the values of bibliography. The results obtained reveal a higher prevalence of autoantibodies in female donors and an increase of autoantibodies with aging. For all the donors the most prevalent autoantibodies were the anti Saccharomyces cerevisiae antibodies (IgA and IgG) followed by the rheumatoid factor, having been obtained the same results when considering only male donors. The prevalence in female donors was distinct, showing as most prevalent autoantibodies the anti-Saccharomyces cerevisiae antibodies (IgA and IgG) followed by the anti-phospholipids antibodies. It’s necessary to make more studies and laboratory tests to confirm the results obtained in this study.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3888
Designação: Mestrado em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Prevalência de Autoanticorpos com Valor Preditivo em Dadores de Sangue Portugueses.pdf7,12 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.