Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3891
Título: Perfil psicopatológico de agressores conjugais e fatores de risco
Autor: Caldeira, Carina Tatiana Menchero
Orientador: Loureiro, Manuel Joaquim da Silva
Palavras-chave: Violência doméstica
Violência doméstica - Agressor conjugal
Violência doméstica - Comportamento violento
Violência doméstica - Factores de risco
Agressor conjugal - Tipologias
Agressor conjugal - Perfil psicopatológico
Data de Defesa: 2012
Resumo: Esta investigação tem como objetivo caracterizar um grupo de agressores conjugais através da análise dos seus sintomas psicopatológicos e de alguns indicadores sociodemográficos, funcionando numa base descritiva, exploratória e correlacional. Surge de acordo com os modelos intrapessoais da violência doméstica cujo foco são os fatores internos do sujeito. Para tal recorreu-se a uma amostra de 30 sujeitos do sexo masculino, sinalizados pela DGRS por cumprirem pena por crime de violência doméstica contra cônjuge ou análogos, com uma média de idade de 49 anos e um desvio-padrão de 11,890, sendo que, 9 (30%) participantes se situam no estatuto socioeconómico médio e 10 (33,3%) têm o ensino básico. Aos participantes foi aplicado um protocolo de instrumentos que permitissem simultaneamente avaliar as crenças e atribuições associadas à violência doméstica nos agressores conjugais, caracterizar as dimensões psicopatológicas associadas aos seus comportamentos, determinar as dimensões de psicopatia, utilizando para tal os seguintes instrumentos: Questionário Sociodemográfico; Atribuições Causais (Henning, Joner & Holdford, 2005); versão portuguesa do SCL-90-R (Derogatis, 1977); I.V.C. (Machado, Matos & Gonçalves, 2000); E.C.V.C. (Machado, Matos & Gonçalves, 2000); PCL/P-Scan (Hare, 2003; Hare & Hervé, 1999; Gonçalves & Lobo, 2006 cit. in Lobo, 2007) e ODARA (Hilton, Harris & Rice, 2002). Os principais resultados apontam para que se classifiquem os agressores conjugais como indivíduos desconfiados, hostis, com uma grande necessidade de controlo e um grande medo de perda da autonomia, como sujeitos que fazem uso de um pensamento projetivo, de um centralismo autorreferencial e ideação delirante, manifestando crenças de grandiosidade, hipersensibilidade à critica, apresentando também alguns traços obsessivos. Tendem a adotar tanto comportamentos característicos de episódios de violência física, bem como violência emocional/psicológica, não havendo contudo associação entre a sintomatologia apresentada e os episódios violentos, à exceção de uma associação positiva entre a hostilidade e a violência emocional/psicológica, rpb= 0,391, p= 0,05. Este estudo permitiu ainda perceber que a violência doméstica é um fenómeno independente da idade dos agressores, do seu nível económico e do seu nível de escolaridade.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3891
Designação: Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde
Aparece nas colecções:FCSH - DPE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação.pdf1,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.