Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/3948
Título: Determinação fluorimétrica da rodamina 123 em plasma de rato: ferramenta para a avaliação in vivo da actividade da glicoproteína-P
Autor: Martins, Ana Isabel Figueiredo
Orientador: Alves, Gilberto
Falcão, Amílcar
Palavras-chave: Fluorimetria
Rodamina 123 - Plasma de rato
Glicoproteína-P
Glicoproteína-P - Inibidores
Glicoproteína-P - Células tumorais
Data de Defesa: 2010
Resumo: A resistência a múltiplos fármacos (multidrug resistance, MDR) constitui um dos maiores obstáculos no tratamento do cancro. Acredita-se que um dos principais mecanismos envolvidos na MDR seja a sobrexpressão, em células cancerígenas, de um transportador membranar de efluxo de fármacos dependente de ATP, a glicoproteína-P (gp-P). A gp-P desempenha um papel significativo na absorção e disposição de muitos fármacos, incluindo anticancerígenos. Em particular, a sobrexpressão da gp-P em células cancerígenas confere resistência ao impedir a acumulação intracelular de fármacos. O objectivo deste estudo foi desenvolver e validar um método fluorimétrico rápido e sensível, em plasma de rato, para apoiar a identificação in vivo de inibidores da gp-P, usando a rodamina 123 como uma sonda fluorescente da actividade da gp-P. A preparação das amostras consistiu apenas na desproteinização do plasma com acetonitrilo. A cada alíquota (200 μL) de plasma, foi adicionado um volume igual de acetonitrilo. A mistura foi agitada no vortex (10 s) e centrifugada a 17000 rpm durante 20 min (4º C). De seguida, 200 μL de sobrenadante foram transferidos para os poços de uma microplaca de 96 poços. As concentrações de rodamina 123 foram determinadas por fluorimetria, utilizando comprimentos de onda de excitação/emissão de 480/575 nm, respectivamente. As curvas de calibração obtidas para a intensidade de fluorescência versus concentração de rodamina 123 mostraram linearidade (r2 ≥0.998) de 0,04-4 μg/mL. O limite de quantificação (LOQ) do método foi de 0,04 μg/mL. O método demonstrou ser preciso e exacto. A imprecisão global não excedeu 15% (ou 20% no LOQ) e a inexactidão variou dentro de ±15% (ou ±20% no LOQ). A rodamina 123 foi extraída a partir das amostras de plasma com uma recuperação média global de aproximadamente 90%. O método foi aplicado à determinação da rodamina 123 em amostras reais de plasma de ratos pré-tratados ou não com verapamil, aos quais foi administrada uma dose única de rodamina 123 (500 μg/kg, i.v.). Este método parece ser uma ferramenta útil para seguir a farmacocinética da rodamina 123 em plasma de rato, podendo apoiar programas de screening para a descoberta de inibidores da gp-P candidatos a fármacos.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/3948
Designação: Mestrado em Bioquímica
Aparece nas colecções:FC - DQ | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ana martins.pdf1,3 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.