Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/4327
Título: Aztlán: o barrio que molda o mito na obra de Rudolfo Anaya
Autor: Mancelos, João de
Palavras-chave: Rudolfo Anaya
Aztlán
Identidade
Mitopoesia
Data: 2004
Editora: Universidade Católica Portuguesa
Citação: Mancelos, João de. “Aztlán: O Barrio que Molda o Mito na Obra de Rudolfo Anaya”. Landscapes of Memory/Paisagens da Memória. Org. Isabel Capeloa Gil, Richard Trewinnard, e Maria Laura Pires. Lisboa: Universidade Católica Portuguesa Editora, 2004. 279-286. ISBN: 972-54-0079-8.
Resumo: Aztlán Aztátlan constitui a terra onfálica, o lugar sem lugar, o paraíso perdido dos Astecas. Na década de 70, o movimento chicano apropria o mito do continente afundado, transformando Aztlán num símbolo identitário da raza, e num desafio à cultura euro-americana. Sobretudo no romance Heart of Aztlán (1976), e no poema épico The Adventures of Juan Chicaspatas (1985), Rudolfo Anaya importa este mito para o barrio de Albuquerque, onde ele próprio viveu. Neste ensaio, analiso o modo como o pai da literatura chicana atualiza, reescreve e subverte a lenda de Aztlán no universo ficcional. Para tanto, comparo este mito a outros semelhantes, examino o processo de mitopoesis, analiso passos das ditas obras, e cito um excerto de uma entrevista que Anaya me concedeu em Setembro de 1999.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/4327
ISBN: 972-54-0079-8
Aparece nas colecções:FAL - DCA | Documentos por Auto-Depósito

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
aztlan.pdf390,22 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.