Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/729
Título: Caracterização demográfica e epidemiológica da prevalência de doenças potencialmente incapacitantes no mergulho de recreio em Portugal
Autor: Araújo, Carla
Palavras-chave: Mergulho de Recreio-Prevalência e condição médica
Prevalência e condição médica
Mergulho de recreio
Riscos
Mergulhadores
Aspectos demográficos
Mergulhadores
Aspectos fisiológicos
Mergulhadores
Aspectos psicológicos
Mergulhadores
Doenças
Portugal
Data de Defesa: Mar-2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução e Objectivos: O mergulho de recreio, tem vindo a crescer nos últimos anos em todo o mundo e Portugal não é excepção. O ambiente subaquático implica alterações fisiológicas que, invariavelmente, desencadeiam níveis de stress significativamente diferentes dos encontrados à superfície. Apesar dos desafios, esta é uma actividade com reduzida morbilidade e mortalidade. Não existem estudos epidemiológicos em Portugal que analisem esta relação por isso, pretende-se com este estudo caracterizar a distribuição demográfica dos mergulhadores de recreio portugueses, identificar os vários estados patológicos que possam acompanhar os mergulhadores portugueses, o seu impacto na condição para mergulhar e elucidar para o risco inerente à prática do mergulho a que possam estar sujeitos. Métodos: Este estudo observacional transversal consistiu na aplicação online de um questionário anónimo, que esteve disponível entre Julho e Outubro de 2009, constituído por três secções. Os resultados foram analisados nos programas Microsoft Excel 2007® e SPSS® versão 17.0, ambos para Windows e consideraram-se os resultados significativos para p <0,05. Resultados: No total, 344 (10% da população) mergulhadores responderam ao inquérito, 246 do sexo masculino e 70 do sexo feminino. A idade média dos mergulhadores da amostra, a sua distribuição por género e o nível de certificação do mesmo foi semelhante à da população em estudo. Dos 15% de mergulhadores que já sofreram algum tipo de acidente de mergulho, 50% referiu barotrauma e 15% DCI. Relativamente aos hábitos, 20% são fumadores, 6% afirmam consumir drogas e 16% medicação. Verificou-se também que 44% dos mergulhadores apresentam predisposição alérgica (rinite ou sinusite) e 49% apresentam IMC > 25. Abordando os diferentes tipos de patologias, foi possível verificar que 3% apresentam patologia respiratória, 9% patologia cardiovascular e hematológica, 17% patologia endócrina e metabólica, 24% patologia otorrinolaringológica, 8% patologia neurológica e psiquiátrica, 27% patologia do aparelho locomotor, 20% patologia gastrointestinal e renal. Foi encontrada relação estatística entre número de mergulhos, anemia e barotrauma e entre hábitos tabágicos, IMC, diabetes mellitus e DCI. Discussão e Conclusão: Este estudo caracterizou, de forma multifactorial, a população portuguesa de mergulhadores. Apesar de contemplar uma amostra da população de mergulhadores, parece evidente que um número considerável de mergulhadores possui patologias potencialmente incapacitantes para a prática da referida actividade.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/729
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Mestrado Final.pdf1,96 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.