Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/739
Título: A adolescência e o tabaco
Outros títulos: caracterização do consumo numa população escolar
Autor: Amaral, Vanessa Goulart
Palavras-chave: Tabagismo
Tabagismo - Adolescência
Tabaco - Adolescentes - Aspectos sociais
Tabaco - Adolescentes - Publicidade
Cessação tabágica
Data de Defesa: Jun-2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: O objectivo deste estudo foi caracterizar a iniciação e a aquisição do comportamento tabágico nos adolescentes de uma escola da Ilha do Pico e procurar alguns factores associados a este comportamento. Mais concretamente, através da avaliação da prevalência de fumadores, hábitos de consumo, idade da iniciação, factores associados ao comportamento tabágico, relação com outros comportamentos de risco, número de tentativas de cessação tabágica, intenção em relação ao futuro, papel da pressão social dos outros relevantes, papel da escola e crenças em relação ao tabagismo. Para realizar este estudo foi aplicado um questionário validado no quadro do Projecto ESFA (European Smoking Prevention Framework Approach), anónimo, durante os meses de Novembro, Dezembro e Janeiro do ano lectivo 2009/2010, em contexto de sala de aula. Os resultados foram analisados no programa PASW (Predictive Analytics Software) Statistic para Mac, versão 18. Responderam ao questionário o total de alunos da escola (n=264) com idades compreendidas entre os 12 aos 15 anos (média=13,38 anos), dos quais 131 (49,6%) são do sexo feminino. A maioria dos participantes nunca tinha fumado (59,8%), 23,49% já tinha fumado, mas deixou a dependência e 16,7% são fumadores (14,5% das raparigas e 18,8% dos rapazes). Os alunos de 14 anos são os que têm uma prevalência maior (30,4% de fumadores entre os alunos de 14 anos). Dos participantes, 42% já experimentou fumar com uma média de idade de iniciação de 10,91 anos (considerando as idades de iniciação entre os 8 e 14 anos). Em relação à cessação tabágica, 11,3% dos participantes quer deixar a dependência. Intenção de fumar, influência social e alguns comportamentos de risco (consumo de álcool, haxixe, erva, consumo de comprimidos para dormir ou calmantes, faltar às aulas, andar à luta e roubar coisas) foram as variáveis associadas ao comportamento tabágico. Os resultados mostram que é importante que sejam criados programas de prevenção e realizados mais estudos de monitorização da prevalência do tabagismo nos Açores, uma vez que esta região apresenta um cenário mais preocupante em relação ao Continente. Esses estudos poderão servir de base a políticas regionais de prevenção e cessação tabágica que façam com que a epidemia tabágica não avance.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/739
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Mestrado Vanessa Goulart Amaral.pdf3,12 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.