Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/757
Título: Estudo de avaliação da qualidade de vida após o tratamento do cancro da mama
Autor: Cadete, Maria Alexandra da Silva
Palavras-chave: Cancro da mama
Cancro da mama - Qualidade de vida
Cancro da mama - Tratamento
Data de Defesa: Mai-2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: No sexo feminino, um em cada quatro casos de cancro corresponde a cancro da mama. Tem-se vindo a registar uma diminuição na taxa de mortalidade nas mulheres com idades compreendidas entre os 35 e 75 anos, fruto do diagnóstico mais precoce e da melhoria das terapêuticas. Devido ao crescente número de mulheres sobreviventes de cancro da mama, a comunidade científica tem-se preocupado particularmente com a Qualidade de Vida (QdV) das mulheres com cancro da mama. O bem-estar dessas mulheres afigurase uma prioridade. Objectivo: Compreender as necessidades físicas e psico-sociais das mulheres após o tratamento do Cancro da Mama, de forma a encontrar factores que nos possam levar a propor melhorias para a sua QdV. Material: Foram seleccionados para estudo 2 grupos de mulheres: um grupo composto por 54 mulheres tratadas ao Cancro da mama há mais de um ano na Unidade de Ginecologia Oncológica do Centro Hospitalar Cova da Beira – EPE e sem evidência clínica de recidiva ou de metastização; e outro grupo de 38 mulheres sem patologia oncológica conhecida, funcionárias da mesma instituição Métodos: O estudo consistiu na aplicação dos seguintes instrumentos de avaliação: 1) ficha de dados clínicos e sócio-demográficos; 2) Medical Outcomes Study 36 – Item Short Form (SF – 36); 3) Rotterdam Symptom Check List (RSCL). Tratou-se de um estudo prospectivo, destinado à avaliação da QdV, no qual se procedeu a uma análise comparativa das pontuações médias obtidas nas diferentes subescalas dos questionários aplicados, recorrendo-se ao Teste t–student. A análise estatística foi realizada através do Microsoft Excel e do software SPSS® (Statistical Package for the Social Sciences®) versão 17.0. Resultados: A média de idades era de 41 (desvio padrão 7,447595) e 54 (desvio padrão 4,516636) anos no grupo de mulheres saudáveis e de sobreviventes, respectivamente. 70 % das mulheres realizaram cirurgia associada a linfadectomia. 17% foram tratadas apenas com cirurgia. 39% foram submetidas a cirurgia seguida de quimioterapia (QT) e radioterapia (RT). Ao analisar os resultados obtidos no questionário SF-36, obtiveram-se diferenças estatisticamente significativas, relativamente à QdV percebida por mulheres saudáveis e sobreviventes, nas dimensões: Funcionamento Físico (p<0,001), Desempenho Físico (p<0,001) e Desempenho Emocional (p=0,023). Na avaliação das respostas obtidas pelo RSCL, constatou-se que as mulheres saudáveis possuem uma percepção mais positiva da sua QdV, relativamente ao seu nível de actividade (p<0,001). Não se identificaram diferenças estatisticamente significativas para as restantes dimensões. Conclusão: A nossa investigação evidência que as mulheres tratadas ao cancro da mama, e livres de doença activa, avaliam de forma positiva a sua QdV global, apesar das dificuldades sentidas no domínio físico.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/757
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE_AlexandraCadete_17548.pdf698,49 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.