Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/759
Título: Biomarcadores:
Outros títulos: aplicação da procalcitonina na pneumonia adquirida na comunidade
Autor: Chorão, Raquel Monteiro Aires de Sá
Orientador: Sousa, Miguel Castelo Branco Craveiro de
Palavras-chave: Biomarcadores
Pneumonia - Biomarcadores
Biomarcadores - Procalcitonina - Sépsis
Data de Defesa: Ago-2008
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: No amplo espectro das patologias infecciosas, a pneumonia é uma das causas mais frequentes de consulta; a taxa de incidência anual de pneumonia adquirida na comunidade (PAC) varia de 2,6 a 13,4 casos por 1000 habitantes, sendo a taxa maior nos extremos de idade e as taxas de mortalidade variam entre 1 e 50% consoante o local de tratamento. O doente com PAC pode apresentar-se com um quadro localizado, de pouca gravidade, respondendo eficazmente à terapêutica, ou com envolvimento sistémico, de prognóstico potencialmente fatal caso não seja instituída a antibioterapia rapidamente. Na abordagem inicial, o clínico deve obter todos os dados que lhe permitam tomar uma das decisões com maior influência no prognóstico, ou seja o local de tratamento – ambulatório, enfermaria ou unidade de cuidados intensivos. Actualmente os testes diagnósticos rápidos constituem uma das ferramentas mais importantes para a instituição precoce da antibioterapia, idealmente dentro de 4 horas após entrada no hospital. Os métodos de diagnóstico clássicos não permitem obter resultados nesse período, e apesar de sensíveis, são pouco específicos para infecção. O uso de biomarcadores mais específicos providencia uma nova abordagem das infecções, nomeadamente na estimativa da gravidade, necessidade de instituir tratamento e no prognóstico. A procalcitonina (PCT) é um dos biomarcadores mais recentes, estando elevada nos processos inflamatórios sistémicos de etiologia bacteriana, e apresentando uma cinética com implicações prognósticas. Este trabalho é uma análise de alguns estudos que avaliaram a aplicabilidade da determinação da PCT na PAC, a nível do diagnóstico, do tratamento e do prognóstico. Foi feita uma revisão bibliográfica de artigos em inglês, português e espanhol, publicados entre 1990 e 2008, através de motores de busca (Google e Pubmed), complementando com o recurso a tratados de medicina. A análise da informação recolhida revela que a utilidade da PCT como guia da antibioterapia e marcador do prognóstico e da gravidade na PAC está bem estabelecida; no entanto para o seu diagnóstico os dados não estabelecem com segurança a sua importância. Para o futuro aguardam-se novos estudos que incidam em outros marcadores, e na associação dos já existentes, de forma a aumentar a especificidade diagnóstica dos processos infecciosos, nomeadamente da PAC.
Pneumonia is one of the most frequent causes of medical consultation within the scope of infectious pathologies. It is estimated that the annual incidence rate of community-acquired pneumonia (CAP) varies from 2.6 to 13.4 cases per thousand inhabitants, being even higher in the age extremes, and mortality rate ranging from less than 1% to 50% according to treatment setting. A CAP patient can present mild localized symptoms with an effective response to therapeutics, or a systemic condition with a potentially fatal prognosis unless antibiotherapy is rapidly administered. In the first approach, the clinician must collect all the data that will allow him to make one of the decisions with the most impact on the prognosis, i.e. the treatment setting – ambulatory, ward or ICU. Currently, the rapid diagnostic tests are one of the most important tools for early antibiotherapy prescription, ideally within four hours from hospital admission. The classical diagnostic methods do not afford results in such a period of time and despite being sensitive they are unspecific for infection. The use of specific surrogate markers provides a new approach of infection, in particular to the prediction of severity, to the need to prescribe treatment, and to the prognosis. Procalcitonin (PCT) is one of the most recent surrogate markers that is high in systemic inflammatory processes of bacterial etiology and that shows a kinetics with prognostic implications. This work is an analysis of previous studies that assessed the applicability of PCT determination in the diagnosis, treatment and prognosis of CAP. Information for the literature review included English, French and Spanish papers published from 1990 to 2008, obtained via web search engines (Google and Pubmed), that were complemented with medical compendia. The analysis of the collected information shows that PCT utility is well established both as an antibiotherapy guide and as prognostic and severity marker in CAP. However, the data are not as certain of its importance in the diagnosis of CAP. Future studies will be expected to focus not only on other markers but also on the association of already existing markers likely to increase the diagnostic specificity of infectious processes, namely of CAP.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/759
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Mestrado Raquel Chorão.pdf1,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.