Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/767
Título: Epilepsia benigna da infância com pontas centrotemporais
Autor: Campos, Maria Joana Marques Pires de
Palavras-chave: Epilepsia - Infância
Epilepsia benigna da infância - Pontas centrotemporais
Epilepsia rolândica - Infância
Epilepsia focal idiopática - Infância
Epilepsia focal idiopática - Diagnóstico
Epilepsia focal idiopática - Tratamento
Data de Defesa: Mar-2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A Epilepsia Benigna da Infância com Pontas Centrotemporais é a síndrome epiléptica mais frequente na infância. A International League Against Epilepsy qualifica esta doença como uma Epilepsia Benigna Focal Idiopática, relacionada com a idade. É uma síndrome caracterizada por crises parciais simples, breves e com manifestações motoras e somatossensoriais, que ocorrem frequentemente associadas ao sono. Surge tipicamente entre os 3 e os 13 anos e a sua remissão ocorre habitualmente antes dos 16 anos, pelo que é considerada uma epilepsia benigna. Após a realização de diversos estudos sobre a influência da predisposição genética nesta doença, actualmente aceita-se que segue um modo de herança autossómica dominante com penetrância incompleta. O electroencefalograma inter-crítico é típico, mostrando pontas centrotemporais de alta voltagem, seguidas por ondas lentas. O tratamento nem sempre é necessário, dada a benignidade da doença e, quando utilizado, o controlo das crises é fácil apenas com um fármaco. O diagnóstico precoce e correcto é importante, pois permite que o médico ofereça à criança e aos seus pais um plano adequado e uma explicação cuidada, que poderão evitar os sentimentos de apreensão e angústia normalmente associados a um diagnóstico de epilepsia. O termo “benigno” aplica-se bem a esta síndrome, uma vez que a regra é a remissão das crises durante a adolescência. Há, contudo, uma pequena percentagem de casos em que a evolução é atípica e “não tão benigna”. Estudos recentes têm sugerido a possibilidade de haver prejuízo do perfil psicológico, psiquiátrico e das capacidades cognitivas em crianças com esta síndrome. É um tema bastante controverso, que necessita de mais estudos de investigação. Assim, tendo em conta os resultados de estudos recentes sobre esta temática, são aqui expostas as opiniões de diversos autores.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/767
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado - Maria Joana Campos.pdf1,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.