Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/770
Título: Análise retrospectiva do achado de pico monoclonal em proteinogramas de rotina :
Outros títulos: impacto no diagnóstico de gamapatias monoclonais
Autor: Fernandes, Carla Sofia
Palavras-chave: Componente monoclonal
Electroforese de proteínas
Gamapatias monoclonais - Diagnóstico
Imunofixação
Data de Defesa: Jun-2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: As gamapatias monoclonais constituem um grupo heterogéneo de patologias, caracterizado pela proliferação monoclonal de plasmócitos que produzem e secretam imunoglobulina ou fragmentos desta. Na maioria das vezes, trata-se de uma entidade benigna, usualmente referida como gamapatia monoclonal de significado indeterminado. Contudo, esta pode evoluir para uma situação mais grave como o mieloma múltiplo ou outras gamapatias malignas. A detecção de componente monoclonal através de electroforese e a identificação por imunofixação sérica e/ou urinária de rotina são fundamentais para o seu diagnóstico, dada a sua variabilidade de manifestações clínicas. O principal objectivo deste estudo é salientar a importância da componente laboratorial no diagnóstico das gamapatias monoclonais. Métodos: Efectuou-se uma análise retrospectiva das electroforeses e imunofixações realizadas no Serviço de Patologia Clínica do Centro Hospitalar Cova da Beira durante o ano de 2009. Resultados: Neste estudo, foram incluídos 3407 indivíduos, 1983 (58,2%) do sexo feminino e 1424 (41,8%) do sexo masculino, com uma idade média de 65 anos. Durante o ano de 2009, a incidência de picos monoclonais foi de 3,55%. Os serviços de Hematologia e de Medicina Interna foram os que detectaram o maior número de picos monoclonais. Do total de indivíduos com componente monoclonal, 74 (61,2%) eram do sexo masculino e 47 (38,8%) do sexo feminino, apresentando uma idade média de 72 anos. A incidência das cadeias pesadas foi de 59,5% para IgG, 22,4% para IgM e por último 15,6% para IgA. Em relação às cadeias leves, a incidência de kappa foi de 62% e de lambda 38%. Em 5 indivíduos foram detectados picos biclonais, tendo-se obtido uma incidência de 4,13%. Conclusão: A electroforese de proteínas pode ser considerada um bom método de triagem para detecção precoce de gamapatias monoclonais e a imunofixação para confirmação diagnóstica e para a caracterização das gamapatias monoclonais.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/770
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese de Mestrado gamapatias PDF.pdf865,21 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.