Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/794
Título: Tuberculose multirresistente
Autor: Gomes, Rita Daniela Matos
Orientador: Valente, Maria de Jesus Beirão
Palavras-chave: Tuberculose
Tuberculose multirresistente
Tuberculose multirresistente - Infecção HIV
Tuberculose multirresistente - Prevenção
Tuberculose multirresistente - Tratamento
Data de Defesa: Jun-2008
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A emergência do Mycobacterium tuberculosis resistente aos antibacilares de primeira linha, constitui um problema de saúde pública mundial de extrema importância. A tuberculose multirresistente, definida por resistência pelo menos à isoniazida e à rifampicina, representa um desafio aos programas de controlo da tuberculose, uma vez que o tratamento de tais casos é complexo, com recurso a fármacos de segunda linha, mais dispendioso e frequentemente com menos sucesso que o tratamento de estirpes sensíveis. A cirurgia tem um papel adjuvante em pacientes seleccionados. Portugal, apesar de ter vindo a registar na última década, uma diminuição acentuada da prevalência da tuberculose multirresistente, continua com uma das taxas mais elevada da Europa Ocidental. Embora alguns estudos sugiram uma associação entre a tuberculose multirresistente e a infecção por VIH, a convergência destas duas epidemias não está claramente explicada. Contudo, muitos factores podem contribuir para um risco mais elevado de tuberculose multirresistente nos pacientes infectados com VIH. A sua prevenção através de um Programa de Luta Contra a Tuberculose é de grande importância. Para tal, é necessário dotar as estruturas de saúde com recursos humanos, laboratoriais e financeiros e um compromisso político de forma a garantir um correcto funcionamento do Plano Nacional de Luta contra a Tuberculose. Actualmente, decorrem vários estudos para o desenvolvimento de novos fármacos para o tratamento da tuberculose e de novos sistemas de transporte dos antibacilares.
The outbreak of Mycobacterium tuberculosis, resistant to first line antituberculosis drugs, is considered a worldwide public health threat of utmost importance. Multidrug-resistant tuberculosis, defined as resistance at least to isoniazid and rifampicin, represents a challenge to tuberculosis control programmes due to the complexity of the treatment in such cases, recurring to second line drugs, by far more expensive and often less successful than the treatment of sensitive strains. Surgery has a helpful role in selected patients. Despite the outstanding decrease in the prevalence of multidrug-resistant tuberculosis during the last decade in Portugal, drug resistance in this country is still one of the highest in Western Europe. Although some studies have referred to the existence of a close relationship between multidrug-resistant tuberculosis and HIV infection, the convergence of both epidemics is not clearly explained. Many factors can contribute to a higher risk of multidrug-resistant tuberculosis in patient infected with HIV. A National Tuberculosis Control Programme is of vital importance for effective prevention. Therefore, health service and institutions must be provided with laboratorial, financial and health human resources, in addition to a political commitment that assures the correct development and functioning of the National Tuberculosis Control Programme. Several studies are currently being held aiming at developing new drugs in the treatment of tuberculosis and new delivery systems for antituberculosis drugs.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/794
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tuberculose Multirresistente - Rita Gomes.pdf510,41 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.