Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/805
Título: Clínica da silicose : experiência recente do Hospital de Sousa Martins
Autor: Monteiro, Luís Miguel André
Palavras-chave: Silicose
Silicose - Beira Interior - Portugal
Silicose - Meios complementares de diagnóstico
Silicose - Tratamento
Silicose - Prognóstico
Silicose - Prevenção
Data de Defesa: Jun-2008
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: INTRODUÇÃO: A silicose é a pneumoconiose mais frequente em todo o mundo e responsável por elevada morbilidade e patologias associadas diminuindo a qualidade de vida dos doentes. Esta patologia esteve desde a década de 60 ligada à Medicina do Trabalho e ao trabalho das minas. A região da Beira Interior inclui desde o século passado até à actualidade uma expressiva indústria extractiva (minas e pedreiras). OBJECTIVOS: obter uma percepção da realidade epidemiológica recente dos doentes com silicose residentes no distrito da Guarda. MATERIAL E MÉTODOS: Identificação através do GDH 502 dos doentes com silicose internados no Hospital de Sousa Martins de 1 de Janeiro de 2000 a 29 de Fevereiro de 2008. Selecção de informação relevante constante nos respectivos processos clínicos. Criação de base de dados e análise dos mesmos através do programa informático Statistical Package for the Social Sciences. RESULTADOS: Amostra com 38 doentes com o diagnóstico de silicose. 63% dos indivíduos têm idade superior a 65 anos. Actividade profissional nas minas e nas pedreiras de granito constituem, de forma isolada ou associada, mais de 90% das profissões identificadas. Nos indivíduos com menos de 65 anos predomina como factor de risco o granito. A silicose crónica constituiu a forma mais frequente de apresentação da doença com 73% do total e está associada às minas. O exame auxiliar de diagnóstico mais frequentemente utilizado foi a radiografia Tórax PA com a seguinte apresentação “padrão micronodular bilateral com nódulos nos andares superiores”. A associação mais frequente é a silicotuberculose (67%), seguida da neoplasia maligna do pulmão (20%). CONCLUSÃO: Perfil do doente silicótico: idade superior a 65 anos; sexo masculino; iternado no Serviço de Pneumologia (média 8 dias); trabalhou nas minas e. pedreiras (mais de 10 anos), principal complicação associada: Silicotuberculose. Radiografia Tórax: Padrão micronodular bilateral característico da silicose. Sugere-se estudo de coorte retrospectivo, para estabelecer a morbilidade associada a esta patologia, o percurso ao longo do tempo e a associação entre esta pneumoconiose e o cancro do pulmão
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/805
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Luís Monteiro.pdf2,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.