Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/865
Título: Dietas hipoglucídicas e hiperproteicas : efeitos na sensibilidade à insulina em adultos pré-obesos [e] obesos
Autor: Vilaça, Cecília Teresa Pinheiro
Palavras-chave: Dieta hipoglucídica - Obesidade
Dieta hiperproteíca - Obesidade
Dieta Hipolipídica - Obesidade
Insulina - Adultos - Obesidade
Insulinémia - Obesidade
Síndrome de insulino-resistência
Data de Defesa: Set-2008
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução – Actualmente muito se tem escrito no que respeita à segurança e à eficácia de algumas abordagens terapêuticas para o controlo da obesidade e suas comorbilidade associadas, sendo várias as opiniões contraditórias. Através desta Monografia pretendeu-se realizar uma revisão bibliográfica dos efeitos da utilização de uma Dieta Hipoglucídica (HG) e Hiperproteica, uma abordagem ainda pouco convencional mas que tem sido alvo de diversos estudos, na sensibilidade à insulina, factor de risco cardiovascular. Objectivos – Os principais objectivos desta dissertação foram: 1) sistematizar as alterações que ocorrem na sensibilidade à insulina em resposta à instituição de uma dieta HG; 2) avaliar se essas alterações concorrem para a melhoria da sensibilidade à insulina e para a diminuição do risco cardiovascular; 3) determinar se uma dieta com restrição glucídica é mais eficaz na melhoria da sensibilidade à insulina, do que as dietas hipolipídicas recomendadas pela maioria da Comunidade Científica. Pretendeu-se, por fim, fazer uma breve revisão sobre as dietas HG na Síndrome Metabólica. Métodos – Realizou-se uma pesquisa electrónica no Cochrane, Pubmed, Medline, Google Scholar e Medscape e em alguns sites de entidades nacionais e internacionais relacionadas com a obesidade e a diabetes, tendo-se seleccionado 188 artigos para a elaboração desta dissertação. Discussão/Conclusão – Após a análise dos estudos seleccionados, constatou-se que existem diferenças significativas entre a maioria no que concerne ao seu desenho: diferentes durações, grande variação do tamanho das amostras, diferentes condições metabólicas basais intra e inter-estudos, nomeadamente no que respeita à sensibilidade à insulina, utilização de diferentes metodologias para determinar a sensibilidade à insulina. Contudo, é possível inferir que na maioria dos estudos há redução da razão TAG/HDL (triacilgliceróis/high density lipoproteins), diminuição da glicemia (sobretudo em indivíduos diabéticos) e da insulinémia, redução da medicação hipoglicemiante, parâmetros associados à melhoria da sensibilidade à insulina. As dietas hipoglucídicas com baixo teor lipídico são descritas como sendo pelo menos tão eficazes como as dietas hipolipídicas na melhoria da sensibilidade à insulina. Observa-se que este efeito positivo é potenciado se a dieta, para além de hipoglucídica, for hipocalórica, hiperproteica e com baixo teor de lípidos (estes maioritariamente monoinsaturados). A curto prazo estas dietas são descritas como seguras e eficazes na redução dos parâmetros de risco cardiovascular. Deste modo é aceitável sugerir uma dieta hipoglucídica e hiperproteica a alguns indivíduos com insulino-resistência, desde que se faculte um acompanhamento especializado durante o regime dietético. Pelo exposto é crucial a realização de estudos mais controlados e de maior duração, que avaliem os benefícios induzidos a longo prazo por estas dietas na sensibilidade à insulina, devido à escassez de informação consistente sobre este assunto.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/865
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dietas Hipoglucídicas e Hiperproteicas efeitos na sensibilidade à insulina em adultos pré-obesos e obesos.pdf748,78 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.