Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/883
Título: Avaliação da atrofia encefálica mediante TAC em doentes com provável demência neurodegenerativa : estudo de casos e controlos
Autor: Sampaio, Rita Bárbara
Palavras-chave: Doença de Alzheimer
Demência neurodegenerativa
Atrofia encefálica - Doença de Alzheimer
Demência
Demência mista
Data de Defesa: Jun-2010
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: Em Portugal estima-se que existam cerca de 153.000 pessoas com demência, a qual conduz a perda progressiva da autonomia e da capacidade para as actividades diárias, profissionais e sociais. Apesar das suas várias etiologias, a doença de Alzheimer e a demência vascular são as duas formas mais frequentes de demência na população idosa. A neuroimagem é actualmente a investigação mais importante para ajudar no diagnóstico diferencial das demências e nas decisões terapêuticas. Vários estudos têm demonstrado uma associação entre a atrofia do lobo temporal medial e a dilatação dos cornos temporais dos ventrículos laterais, visualizada em tomografia axial computorizada e o diagnóstico de doença de Alzheimer histologicamente confirmada Objectivos: O objectivo principal deste trabalho é testar nos grupos de doentes que sofrem de DA e de DM um eventual padrão de atrofia a nível radiológico, medido através de TAC – CE e compará-lo com os controlos. Os objectivos secundários são: correlacionar os parâmetros avaliados entre cada grupo de doentes, (MMSE, CDR, tempo de evolução, factores de risco cardiovascular) e relacionar as medidas das estruturas encefálicas entre estes grupos e com o grupo controlo. Métodos: Neste estudo retrospectivo procedeu-se à recolha (entre Dezembro de 2009 e Abril de 2010) de TAC´s crânio-encefálicas e outras informações clínicas do processo hospitalar de doentes com DA, DM e de controlos procedentes da consulta de Neurologia do CHCB, E.P.E. A largura máxima dos ventrículos occipitais que nunca tinha sido medida em TAC-CE ou RMN associada a demência e a distância inter-uncal que apenas tinha sido medida por RMN, foram também avaliadas. Resultados: Foram analisados os processos e medidas as TAC – CE´s de 68 doentes dos quais 38 tinham diagnóstico clínico de demência e 30 eram doentes controlo. Dos 38 doentes, 25 tinham diagnóstico de DA e 13 tinham diagnóstico clínico de DM. Todas as medidas de estruturas encefálicas estudadas, exceptuando-se o ratio da distância interuncal com a distância interóssea, foram significativas (p<0,001) entre os grupos de doentes e controlos mas não nos dois grupos de doentes entre si. A largura dos cornos occipitais dos ventrículos laterais mostrou-se significativa entre os grupos de DA e controlos (p=0,019), não sendo significativa nem entre os grupos de DM e controlos, nem entre DA e DM. Conclusão: Apesar do tamanho reduzido da amostra, este estudo confirmou a existência de um padrão de atrofia encefálica em doentes com DA muito semelhante ao encontrado também em doentes com DM. O aumento da largura dos cornos occipitais dos ventrículos laterais mostrou-se também associado a atrofia neurodegenerativa. Considerando a variável tempo de evolução, como não se correlacionou com as medidas das estruturas encefálicas estudadas, destaca-se a sua utilidade de diagnóstico na prática clínica para a detecção de atrofia cortico-subcortical do lobo temporal medial em doentes com DA.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/883
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Final Rita Sampaio.pdf1,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.