Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/919
Título: Tuberculose nosocomial
Autor: Fernandes, Marta Helena Teixeira
Palavras-chave: Tuberculose nosocomial
Tuberculose latente
Tuberculose nosocomial - Prevenção
Tuberculose nosocomial - Diagnóstico precoce
Tuberculose nosocomial - Epidemiologia
Tuberculose nosocomial - Factores de risco
Data de Defesa: Jun-2009
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: A tuberculose nosocomial, definida como a infecção tuberculosa adquirida por doentes ou profissionais de saúde, numa instituição de saúde como resultado da prestação de cuidados constitui hoje em dia um problema importante. As alterações na apresentação não só pelo facto de o doente de hoje ser mais debilitado mas também pela co-existência com o vírus da imunodeficiência humana, dificultam o diagnóstico e portanto facilitam a transmissão. O risco dos profissionais de saúde depende geralmente dos mesmos factores dos doentes em meio hospitalar, podendo estar aumentada pela frequência, duração e intensidade da exposição e ainda com as funções e locais de trabalho. Visto que Portugal permanece com uma das taxas mais elevadas de tuberculose na União Europeia, os nossos profissionais de saúde também se encontram em maior risco. Para melhor prevenir esta infecção a nível hospitalar, o “center for disease control and prevention” publicou em 1990 as primeiras linhas de orientação, as quais foram reforçadas em 1993/1994 pela “occupational safety and health administration”. Em Portugal as normas existentes baseiam-se nestas linhas orientadoras designando-as “Recomendações para a prevenção da transmissão da tuberculose nos serviços de saúde”. Infelizmente estas normas nem sempre são cumpridas, não só porque os hospitais nem sempre têm condições para tal como pelo facto de os profissionais de saúde não estarem sensibilizados nem informados para a importância do cumprimento de tais normas. É importante assim rever as normas existentes, saber o que tem vindo a ser feito no nosso país e nos nossos hospitais e entender que pontos é que podem ser melhorados e onde se deve intervir.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/919
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Capitulo_I (2).pdf808,43 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.