Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/964
Título: Desenho de estudo multicêntrico para avaliação do efeito da suplementação de cálcio na prevenção da pré-eclâmpsia
Autor: Marques, Raquel Pires
Palavras-chave: Pré-eclâmpsia
Pré-eclâmpsia - Prevenção
Pré-eclâmpsia - Diagnóstico
Pré-eclâmpsia - Hipertensão
Data de Defesa: Jun-2011
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Os distúrbios hipertensivos complicam 12-22% da totalidade das gravidezes e são, actualmente, subdivididos em quatro categorias: hipertensão crónica; pré-eclâmpsia/eclâmpsia; hipertensão crónica com pré-eclâmpsia sobreposta e hipertensão gestacional. A pré-eclâmpsia, objecto de análise deste trabalho, ocorre em 5% das grávidas, ainda que este percentual possa subir exponencialmente se forem considerados apenas alguns sub-grupos definidos como sendo de risco. Exemplos são as nulíparas, as de raça negra ou as portadoras de doença crónica. Trata-se de uma patologia com etiologia pouco clara, que surge, regra geral, após a 20ª semana gestacional e que, de um modo geral, se define com base em dois critérios: valores tensionais e quantificação de proteinúria. São sugestivos de pré-eclâmpsia, valores de PAS≥140mmHg e de PAD≥90mmHg associados a excreção renal proteica ≥300mg, quantificada em urina de 24 horas. Existem, contudo, uma variedade de outros sintomas ou alterações laboratoriais que corroboram o diagnóstico desta síndroma e que, quando presentes, podem reflectir agravamento do quadro clínico. A associação deste quadro com actividade convulsiva, tipicamente tónico-clónica, recebe a designação de eclâmpsia. Uma gravidez complicada por um quadro de pré-eclâmpsia deve ser considerada como de alto risco obstétrico e a conduta clínica irá depender da idade gestacional e da gravidade da síndroma aquando do diagnóstico. Recomenda-se uma abordagem não farmacológica, visando a monitorização dos parâmetros vitais fetais e maternos. Não existem alternativas terapêuticas válidas que influenciem ou alterem a fisiopatologia da pré-eclâmpsia, sendo o parto o único meio curativo definitivo. Ainda assim, pode considerar-se a prevenção da actividade convulsiva e o controlo da hipertensão arterial para protecção materna. O facto de se tratar de uma síndroma com fisiopatologia incerta limita o desenvolvimento de estudos que visem identificar quais as melhores estratégias preventivas, porém, dos desenvolvidos nas últimas três décadas têm insistido em esclarecer uma possível relação entre um aporte diminuído de cálcio e o desenvolvimento de estados hipertensivos, com ênfase na gravidez. Neste sentido propomo-nos desenhar um estudo prospectivo, multicêntrico, aleatorizado, em dupla ocultação e placebo-controlado que esclareça esta possível relação. Calculou-se que, com um erro tolerável de 5%, tal estudo deva ser aplicado a uma amostra de 400 grávidas, sendo que a metade será fornecido um suplemento de cálcio (Calcitab 1500mg duas vezes/dia) e às restantes placebo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/964
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CAPA RAQUEL.pdfCapa51,4 kBAdobe PDFVer/Abrir
DISSERTAÇÃO FINAL RAQUEL MARQUES.pdfTese692,51 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.