Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/971
Título: Estudo da imunoexpressão da proteína p53 em adenocarcinomas colo-rectais : análise descritiva de 62 casos
Autor: Madeira, Magda Joana Terenas
Palavras-chave: Adenocarcinoma colo-rectal
Adenocarcinoma colo-rectal - Diagnóstico
Proteína p53
Imunohistoquímica
Data de Defesa: Mai-2009
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Introdução: A incidência dos carcinomas colo-rectais tem vindo a aumentar nos países desenvolvidos. Estes tumores surgem em terceiro lugar no ranking dos carcinomas que mais mortes causam a nível mundial. A grande maioria (98%) dos carcinomas colo-rectais são adenocarcinomas. A proteína p53 é o produto do gene supressor tumoral com o mesmo nome e, é um importante marcador tumoral. O objectivo desta investigação foi analisar 62 casos de adenocarcinomas colo-rectais, realizando um estudo imunohistoquímico da expressão da proteína p53. Identificou-se a sua positividade ou negatividade e quantificou-se em cada caso a percentagem da sua expressão. Os 62 casos foram classificados quanto ao grau de diferenciação tumoral e tentou-se estabelecer uma correlação entre os casos positivos e o grau de diferenciação. Material e métodos: Este trabalho de investigação foi baseado numa análise descritiva do estudo imunohistoquímico da expressão da proteína p53 (Clone DO-7 da DAKO) em 62 casos de pacientes com adenocarcinomas colo-rectais, ressecados cirurgicamente entre 2001 e 2003. Neste estudo foram avaliados dois parâmetros: intensidade e percentagem da coloração. A intensidade foi valorizada de “ + a +++” e a percentagem de “0 a 100%”. Foram valorizados 50 campos a 400X em cada caso. Resultados: A p53 esteve presente em 33 dos 62 casos (em 53% dos casos havia imunoexpressão da p53). A maioria dos casos apresentou “+++/++” e só 27% apresentava apenas “+”. Em 15 casos constatou-se que mais de 75% das células da lâmina apresentavam imunomarcação para a p53. Em 9 casos, aproximadamente 50% apresentava imunomarcação e em 3 casos a imunomarcação representava 100%. Dos 62 adenocarcinomas, 5 eram bem diferenciados (8%), apenas 2 eram pouco diferenciados (3%) e os restantes eram moderadamente diferenciados (89%). Quanto à localização dos tumores: 11 apresentavam-se no recto e os restantes no cólon. Conclusão: Na maioria dos casos a imunomarcação foi positiva e a expressão da proteína revelou-se numa intensidade e percentagem consideráveis. Quanto à correlação entre grau de diferenciação e imunoexpressão da p53, não foi possível tirar qualquer tipo de elações uma vez que, o número de casos não apresentava significância estatística. Constatou-se que a maioria dos tumores estava localizado no cólon e apenas 18% se apresentava a nível rectal.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/971
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado Magda Terenas.pdf7,05 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.