Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/974
Título: Cirurgia laparoscópica vs cirurgia convencional : custos em saúde
Autor: Louro, Marlene Morgado
Palavras-chave: Cirurgia laparoscópica
Cirurgia laparoscópica - Cirugia convencional - Custos
Laparoscopia
Laparotomia - Custos
Data de Defesa: Jun-2011
Editora: Universidade da Beira Interior
Resumo: Para lá do benefício estético e funcional derivado do pequeno tamanho das incisões, a cirurgia laparoscópica apresenta cada vez mais vantagens em relação à cirurgia convencional, como sejam: as reduzidas perdas sanguíneas, que originam uma menor necessidade de transfusões de componentes hemáticos; diminuição da demora média no internamento, com menos dor, o que acarreta uma inferior necessidade de utilização de terapêuticas analgésicas pós-operatórias; e menos risco de infecção cirúrgica. No entanto, como em todas as técnicas, existem sempre riscos e possíveis efeitos adversos. Com este estudo, pretende-se saber quais os protocolos e abordagens cirúrgicas utilizadas na colecistectomia laparoscópica, procedimento efectuado no Centro Hospitalar Cova da Beira (CHCB), tendo como objectivo avaliar se o custo de utilização desta via de acesso é, ou poderá ser, compensado pelos benefícios em termos de recuperação mais precoce e menor utilização de antibióticos e outros meios, comparando também o custo-beneficio e incidência de complicações (intra-operatórias, pós-operatórias e tardias), com a colecistectomia laparotómica. Este é um estudo documental retrospectivo, realizado através da consulta de processos de doentes submetidos a colecistectomia quer por via laparoscópica, quer por via laparotómica, durante os anos de 2005 a 2009, no Centro Hospitalar Cova da Beira (CHCB). Foram obtidos protocolos do serviço de cirurgia, dados de GDH (Grupo de Diagnostico Homogéneo) e custos de instrumentos, medicamentos e exames complementares de diagnóstico, utilizados em ambas as cirurgias. Foram consideradas para análise 663 doentes, dos quais 617 foram submetidos a colecistectomia laparoscópica e 46 a cirurgia laparoscópica convertida. Os doentes submetidos a cirurgia laparoscópica, tiveram significativamente menor probabilidade de usar antibióticos (odds ratio 0,12; p=0,005), hemoderivados (odds ratio 30,70; p=0.00) e exames complementares de diagnóstico (odds ratio 8,36; p=0,00). Este grupo apresentou também uma probabilidade significativamente menor de ter complicações de qualquer tipo pós-operatórias (odds ratio 0,269 p=0,006) e tardias (odds ratio 0,124; p=0,00), ao contrário das complicações intra-operatórias, que demonstraram ser um pouco mais elevadas que na cirurgia laparotómica (odds ratio 0,99; p=0,674), em relação ao grupo submetido a cirurgia laparotómica. O custo final médio de uma laparoscopia ficou avaliado em 3298,09€, enquanto o custo de uma laparotomia se situou num patamar acima, com 7670,77€. Este facto permitiu validar a hipótese colocada, de que apesar de a cirurgia laparoscópica ter um custo elevado a nível técnico, a diminuição da utilização de hemoderivados, analgesia, antibioterapia e a menor taxa de complicações permite compensar este facto, e ser menos onerosa que a cirurgia laparotómica.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/974
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese final_Marlene Louro.pdf1,18 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.