Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/1197
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorFaria, Daniela Luísa dos Santos-
dc.date.accessioned2013-05-17T10:52:32Z-
dc.date.available2013-05-17T10:52:32Z-
dc.date.issued2012-05-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.6/1197-
dc.description.abstractIntrodução: A saúde da população é também determinada pelo estilo de vida, mas apesar de todas as informações disponíveis, entre os estudantes universitários existem cada vez mais comportamentos considerados de risco. A entrada para a Universidade é um período de mudança para o jovem adulto, a conquista de mais autonomia, o assumir de responsabilidades e, muitas vezes, a saída de casa dos pais causa mudanças nos estilos de vida dos estudantes universitários. Com a entrada no mundo académico, muitas vezes consolidam ou iniciam comportamentos menos saudáveis. Os hábitos que são adquiridos durante o percurso universitário podem se estender para outras fases da vida, levando a uma pior qualidade de vida. A compreensão dos estilos de vida nos estudantes do ensino superior é importante, de forma a facilitar a conceção de estratégias que promovam estilos de vida saudáveis com o sentido de prevenir problemas futuros. Objetivos: Descrever e caracterizar os hábitos e estilos de vida dos estudantes de medicina da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (FCS-UBI), comparando os dois primeiros e os dois últimos anos e avaliar as associações entre as diferentes variáveis do estilo de vida. Metodologia: Estudo observacional descritivo transversal, para o qual foi construído um questionário, que foi aplicado em contexto de sala de aula aos 365 participantes (58% dos dois primeiros anos e 42% dos dois últimos anos). O questionário era constituído por oito partes: caracterização sociodemográfica; questionário de autoestima; sono, stress e vida social; hábitos alimentares; atividade física; tabagismo; consumo de álcool; consumo de outras substâncias psicoativas. Resultados: Os estudantes no início e no fim do curso têm características semelhantes em relação ao sono, stress e vida social, ao consumo de tabaco e à prática de atividade física, com exceção das caminhadas que são mais frequentes nos mais novos. Os alunos dos últimos anos têm uma autoestima mais elevada e uma alimentação mais saudável, enquanto os alunos dos primeiros anos têm padrões de consumo de álcool de maior risco, assim como, consumos de cannabis mais frequentes e desde idades mais precoces. Foi encontrada uma associação entre o consumo de álcool de maior risco, o consumo de tabaco, o consumo de cannabis, o sexo masculino e frequentar os primeiros anos do curso. Conclusão: Os estudantes têm estilos de vida pouco saudáveis e os comportamentos de risco estão associados, sendo necessário implementar programas de promoção da saúde específicos e integrados com intervenções direcionadas para os múltiplos fatores de risco.por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade da Beira Interiorpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectEstudantes universitários - Estilo de vidapor
dc.subjectEstudantes universitários - Estilo de vida - Início e fim do cursopor
dc.subjectEnsino superior - Estudantes - Comportamentopor
dc.titleEstudo comparativo dos estilos de vida dos estudantes de medicina da Universidade da Beira Interior no início e no final do cursopor
dc.typemasterThesispor
degois.publication.locationCovilhãpor
dc.peerreviewedyespor
Aparece nas colecções:FCS - DCM | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Daniela Faria.pdf1,53 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.