Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.6/6603
Título: Conselho e Protocolo Familiar no Planeamento da Sucessão
Outros títulos: Estudos de Caso em Empresas Familiares Portuguesas
Autor: Matias, Cláudia Sofia Martins
Orientador: Franco, Mário José Baptista
Palavras-chave: Empresa familiar - Planeamento de Sucessão
Empresa familiar - Conselhor de família
Data de Defesa: Nov-2018
Resumo: A relevância e o papel das empresas familiares no tecido empresarial português é inegável, contudo, a mudança geracional, a transferência de liderança ou de propriedade são pontos críticos neste segmento de empresas. Deste modo, o desafio passa por planear, preparar e investir atempadamente no processo de sucessão, de forma sólida e consensual, para que estas empresas se tornem estáveis, sustentáveis e consolidadas e, por conseguinte, sobreviverem. A literatura tem vindo a mostrar que, se este tipo de empresas utilizar alguns instrumentos, órgãos ou grupos que auxiliam esse processo, pode fortalecer a hipótese de sucesso do seu processo de sucessão e a continuidade das mesmas. Neste contexto, o principal objetivo deste estudo foi compreender o papel que o conselho e o protocolo familiares podem ter no processo de planeamento das empresas familiares portuguesas. Assim, para alcançar este objetivo geral foi utilizada a abordagem qualitativa, recorrendo a estudos de caso múltiplos: sete empresas familiares portuguesas. Como técnicas de recolha de dados usou-se a entrevista, a observação direta e a análise documental. Com base nas evidências empíricas conclui-se que o conselho de família e o protocolo familiares ajudam o planeamento da sucessão e favorecem a continuidade e sobrevivência da empresa familiar. Contudo, existem também outros grupos de trabalho que auxiliam todo o processo de planeamento como é o caso da reunião da geração de primos e a Comissão de Acompanhamento das gerações mais novas (ou Comité Mentor). O desenvolvimento de planos pessoais futuros para as gerações mais novas pode passar pela criação desta Comissão, que auxilia e encaminha os membros familiares mais jovens. Este estudo mostra ainda que o conselho de família é um órgão muito importante e fundamental nas empresas familiares, sendo um elemento diferenciador de forma positiva neste tipo de empresas. Deve ser criado envolvimento e compromisso familiar com o futuro da empresa através da representação de todos os ramos e gerações da família nas reuniões do conselho de família, mesmo que seja apenas como ouvintes, sem direito de voto. Conclui-se também que o protocolo familiar é considerado um elemento preventivo, com elevado poder sentimental e de muita importância para as empresas familiares, servindo para manter a agregação familiar e a estabilidade na organização, ligando a família à empresa e vice-versa. Este instrumento antecipa também soluções para eventuais problemas ou conflitos futuros, incorporando todas as instruções, regras e preceitos familiares que regem o funcionamento e o relacionamento da família com a empresa, pré-discutidas e aceites por todos. Relativamente ao planeamento da sucessão, este estudo mostra que o início do envolvimento dos membros familiares na empresa parece ditar o início do processo de sucessão. Este envolvimento pode ser auxiliado com a Comissão de Acompanhamento. A escolha do sucessor ocorre em conselho de família, opinada por vezes também pelo conselho de administração. A preparação adequada e devidamente planeada para o processo de sucessão apresentam maior hipótese de sobrevivência e continuidade destas empresas de cariz familiar. Assim, o conselho de família e o protocolo familiar são considerados como ferramentas/instrumentos que auxiliam o planeamento da sucessão neste tipo de empresas familiares. Contudo, a assessoria de profissionais especializados também pode ser vista como mais uma ferramenta e o Comité Mentor das gerações mais novas também se pode envolver no processo de planeamento. De facto, conclui-se que o planeamento tem um claro papel no processo de sucessão das empresas familiares estudadas. Do ponto de vista teórico, este estudo contribui para melhorar o conhecimento sobre o conselho e o protocolo familiares e o planeamento da sucessão nas empresas familiares, na medida em que explorou, em profundidade, estes tópicos. Neste sentido, um dos principais contributos deste trabalho foi propor um modelo holístico que mostra como o conselho e o protocolo familiares podem ser instrumentos que permitem o planeamento da sucessão. Em termos práticos, os resultados deste estudo sugerem que a utilização do conselho de família e do protocolo familiar podem auxiliar o processo de planeamento da sucessão, permitindo a continuidade e sucesso das empresas familiares e minimizando o seu fracasso. A interferência das reuniões da geração de primos e da Comissão de Acompanhamento das gerações mais novas (ou Comité mentor) podem ser também cruciais neste processo de planeamento. Estas e outras contribuições, bem como sugestões para futuras investigações nesta área são também apresentadas.
The relevance and the role of family businesses in the Portuguese entrepreneurial structure is undeniable. However, the generational change, the transfer of leadership or ownership are critical points in this segment of companies. Thus, the challenge is to plan, prepare and invest, timely, in the succession process, in a solid and consensual way, so that these companies become stable, sustainable and consolidated, and therefore survive. The literature has shown that if this type of companies use some instruments, organs or groups that help this process, it can strengthen the success chances of its succession process and its continuity. In this context, the main objective of this study was to understand the role that family council and protocol can have in the planning process of Portuguese family companies. Thus, to reach this general objective, the qualitative approach was used, using multiple case studies: seven Portuguese family companies. As data collection techniques, interviewing, direct observation and documentary analysis were used. Based on the empirical evidence, it is concluded that family council and family protocol help the succession planning and favor the continuity and survival of the family business. However, there are also other working groups that support the entire planning process, such as the cousin generation meeting and the New Generations Monitoring Committee (or Mentoring Committee). The development of future personal plans for the younger generations may be the creation of this Commission, which assists and guides the younger family members. This study also shows that the family council is a very important and fundamental organ in family businesses, being a differentiating element in a positive way in this type of companies. Involvement and family commitment to the future of the company should be created through the representation of all branches and generations of the family in the family council meetings, even if it is only as listeners, without the right to vote. It is also concluded that the family protocol is considered a preventive element, with high sentimental power and of great importance for family businesses, maintaining the family aggregation and stability in the organization, linking the family to the company and vice versa. This instrument also anticipates solutions to any future problems or conflicts, incorporating all the family instructions, rules and regulations that govern the functioning and relationship of the family with the company, prediscussed and accepted by all. Concerning succession planning, this study shows that the beginning of the involvement of family members in the company seems to dictate the beginning of the succession process. This involvement can be assisted by the Monitoring Committee. The successor’s selection takes place in family council, sometimes also opined by the board of directors. Adequate and properly planned preparation for the succession process presents a greater chance of survival and continuity of these family-owned enterprises. Thus, the family council and the family protocol are considered tools that help the succession planning in this type of family businesses. However, expert advice can also be seen as a tool and the Mentor Committee of the younger generations can also be involved in the planning process. In fact, it is concluded that planning has a clear role in the succession process of the studied family companies. From a theoretical point of view, this study contributes to improving knowledge about family council and protocol and succession planning in family businesses, because these topics were explored in depth. In this sense, one of the main contributions of this work was to propose a holistic model that shows how family council and protocol can be instruments that allow succession planning. In practical terms, the results of this study suggest that the use of family council and family protocol can help the succession planning process, allowing the continuity and success of family businesses and minimizing their failure. The interference of cousin generation meeting and the New Generations Monitoring Committee (or Mentoring Committee) can also be crucial in this planning process. These and other contributions, as well as suggestions for future investigations in this area, are also presented.
URI: http://hdl.handle.net/10400.6/6603
Designação: Doutoramento em Gestão
Aparece nas colecções:FCSH - DGE | Dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TeseDoutoramento_Cláudia Matias - final.pdf2,24 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.